O Laboratório Alvaro está de cara nova!

Deseja tornar este perfil sua página inicial quando acessá-lo novamente?

X

Atendimento ao Cliente:

Menu de Exames

IMUNOGLOBULINA G - IgG

A A

O Laboratório Alvaro oferece mais de 1400 tipos de exames de prevenção e tratamento. Consulte abaixo todas as informações e orientações para cada tipo.

  • Código: IGG
  • Material: soro
  • Sinônimo: IMUNOGLOBULINA G - IgG
  • Volume: 1,0 mL
  • Método: Imunoturbidimetria
  • Volume Lab.: 1,0 mL
  • Rotina: Diária
  • Resultado: 24 horas
  • Temperatura: Refrigerado
  • Coleta: -Jejum não necessário. - Coletar amostra em tubo gel; - Aguardar 30 min para retração do coagulo; - Realizar a centrifugação em 3.200 RPM por 12 min; - Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC.
  • Código SUS:
  • Código CBHPM: 4.03.07.28-0

Interpretação

  • A IgG corresponde a 70% das imunoglobulinas. Pode estar elevada ou baixa em várias doenças, de modo que o resultado alterado deve ser analisado cautelosamente, em conjunto com a clínica. Dependendo da doença investigada são necessários outros exames, uma vez que é grande o número de doenças que cursa com IgG alterada. Em situações nas quais infecções, processos inflamatórios ou neoplasias, primárias ou secundárias do tecido nervoso são evidenciadas encontra-se aumento de albumina e de imunoglobulinas no líquor. Este achado é mais frequente na esclerose múltipla, na qual a eletroforese pode mostrar aumento monoclonal da fração gama. Indicação: Útil na avaliação da imunidade humoral e no auxílio diagnóstico e acompanhamento de mieloma da classe IgG, diagnosticado à eletroforese por pico monoclonal. A dosagem no liquor é Indicada em infecções do sistema nervoso central, neoplasias primárias do tecido encefálico, ou metástases e doença neurológica primária, em particular esclerose múltipla. Interpretação clínica: Os resultados de IgG obtidos do paciente são comparados aos valores de referência para a idade e para a população em estudo, além de levar em conta a metodologia utilizada. Pode estar aumentada em infecções, mieloma IGG, doenças autoimunes, doença hepática crônica, artrite reumatóide, doenças parasitárias e sarcoidose, entre outras. Pode estar diminuida na imunodeficiência congênita ou adquirida, síndromes perdedoras de proteínas, gestação, Macroglobulinemia de Waldestrom e mieloma não secretor de IgG. Quando aumentada no liquor isoladamente, denota a existência de processo inflamatório/infeccioso no SNC, ou ainda a presença de doenças desmielinizantes ou neoplásicas, processos que podem ser secundários ou primários, que serão esclarecidos com a correlação com a dosagem sérica. Sugestão de leitura complementar: Parreira J, Lúcio P, João C. Gamapatias Monoclonais de Significado Indeterminado: Critérios de Diagnóstico e Acompanhamento Clínico. Acta Med Portuguesa. 2014; 27(5): 661-4.

Referência

  • 0 a 1 ano : 231,0 a 1411,0 mg/dL
  • 1 a 3 anos : 453,0 a 916,0 mg/dL
  • 4 a 6 anos : 504,0 a 1464,0 mg/dL
  • 7 a 9 anos : 572,0 a 1474,0 mg/dL
  • 10 a 11 anos : 698,0 a 1560,0 mg/dL
  • 12 a 13 anos : 759,0 a 1549,0 mg/dL
  • 14 a 15 anos : 716,0 a 1711,0 mg/dL
  • 16 a 19 anos : 549,0 a 1584,0 mg/dL
  • > 19 anos : 700,0 a 1600,0 mg/dL